Mas eu estou bem!—Como reconhecer que preciso de ajuda

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

“É só uma fase! Vai passar.”

“É só o estresse do trabalho.” 

“Estou muito sobrecarregada com a faculdade.” 

“Estou apenas cansada”. 

“Estou triste por causa do fim do relacionamento”. 

“Vai passar”. 

Quantas vezes você ouviu, ou até mesmo disse frases assim? Tentando se convencer que o que estava acontecendo era apenas momentâneo, fruto das circunstancias e que em breve esses sentimentos iriam passar? 

De fato, todos nós passamos por momentos de estresse, tristeza, crises emocionais durante a vida. E sim! Muitas vezes o tempo se encarrega de organizar as coisas e voltamos ao que consideramos “normal”. 

Mas como saber se isso que estou sentindo agora vai passar naturalmente, ou se preciso de ajuda para compreender e superar esse período?

Durante os anos de trabalho em consultório já atendi inúmeras pessoas com essas dúvidas. Pessoas buscando respostas, buscando ajuda, algumas que já tinham recorrido a muitas coisas e que colocaram a terapia como sendo a última opção. E posso dizer com toda certeza, quanto mais cedo você busca ajuda mais rápido e mais fácil será seu processo. Infelizmente ainda encontramos muita desinformação a respeito do trabalho de um profissional da psicologia, muitos tabus e muito preconceito, mas que pouco a pouco vão sendo quebrados e as pessoas compreendendo que, assim como cuidar da saúde física, cuidar da emocional é de extrema importância. 

Você pode até ter sua saúde física em ordem, mas sem a emocional não poderá usufruir de todos os recursos e bênçãos que Deus te oferece a cada dia. 

As estatísticas mostram que, no Brasil, mais de 20 % da população apresenta algum tipo de transtorno emocional. Dentre os mais frequentes transtornos de ansiedade e depressão. E a tendência é que esse número suba a cada dia.

 Mas nem por isso podemos cogitar que vivermos angustiados, deprimidos, ou oprimidos de alguma forma seja algo normal. Deus nos criou para termos vida em abundância, e seu filho Jesus veio a esse mundo nos livrar de todas as amarras do pecado, para que possamos viver da melhor forma possível nesse mundo e na eternidade. 

Por isso não devemos nos acomodar com uma saúde emocional “meia boca”. Ou uma vida que “vamos levando”. Devemos buscar cada dia o melhor, só assim poderemos ser luzes e bons instrumentos para sua causa. 

“Mas eu não acho que tenho depressão e não sei exatamente o que tenho, ainda assim devo procurar ajuda?” 

Com certeza! Qualquer coisa que esteja te impedindo de ter uma vida emocional saudável e equilibrada merece ser cuidada, independente de nomes ou diagnósticos. 

Vamos falar de alguns sinais que podem te ajudar a avaliar quando buscar ajuda:

  1. Sintomas físicos: Na grande maioria das vezes quando descuidamos de nossa saúde emocional o nosso corpo acaba pagando um preço alto por isso. São o que chamamos de doenças psicossomáticas, dores e enfermidades que já foram investigadas, que não passam e aparentemente não tem “causa”. Enxaquecas, dores no corpo, gastrites nervosas, dermatites e tantos outros exemplos. Após investigar as causas clínicas é importante que se dê atenção à parte emocional envolvida nesse processo.
  2. Sensação de não se encaixar em lugar nenhum: começar a se isolar, ter “preguiça” dos relacionamentos sociais, ir perdendo o contato com as pessoas, e não se sentir fazendo parte de nenhum grupo. Esses sintomas se não cuidados podem evoluir de forma negativa e agravar um quadro transformando-o até em depressão.
  3. Dificuldades nos relacionamentos: muitas vezes olhar nossos relacionamentos nos ajudam a perceber sinais de que precisamos de ajuda. Problemas de comunicação e desgastes no relacionamento conjugal, familiar, com amigos, no trabalho ou igreja podem sinalizar que você está precisando de ajuda.
  4. Quando sua rotina é afetada negativamente: o estresse, a ansiedade, perda de memória, irritação constante, e aquele cansaço que não passa nunca. Quando alguns desses sintomas começam a atrapalhar e afetar o seu dia a dia é hora de investigar o que de verdade está acontecendo a nível emocional.
  5. Quando você passa por um trauma ou uma grande perda e não consegue retomar a vida, mesmo passando muito tempo. 
  6. Quando as emoções são paralisantes ou muito intensas: crises de choro, de raiva, vontade de “sumir”, euforia. Todos temos emoções, mas quando elas se tornam muito intensas e descompensadas é sinal de alerta. 
  7. Quando as pessoas que estão ao seu redor dizem que estão preocupados com você: na maioria das vezes as pessoas ao nosso redor percebem nossas alterações muito antes de nós mesmos. Se você está ouvindo familiares e amigos perguntarem constantemente o que está acontecendo e dizendo que estão preocupados, fique atento e busque ajuda.
  8. Quando as coisas que você gostava já não chamam mais atenção: é normal mudarmos de interesses ao longo da vida, mas quando tudo que gostávamos de repente perde seu “brilho” e a vida vai ficando mais “cinzenta” também é sinal importante de alerta.

Aqui relatamos alguns dos sinais, mas existem muitos outros. Se você leu, se identificou com algo, mas ainda está na dúvida, mesmo assim procure ajuda. 

Você é muito especial para seu Criador, Ele quer muito que você tenha uma vida feliz e próspera. Capacitou pessoas que podem te ajudar a entender como passar da melhor forma por esse processo. Não tenha medo e nem vergonha de buscar sua felicidade.

Faíla Thomé

Faíla Thomé

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Girl writes in journal
The Girl Writes é um espaço criado por mulheres para mulheres. Tudo em uma perspectiva baseada na fé. Não são necessárias adaptações. Saber mais.

Posts Relacionados

Rose wrinkled paper background with cut out image of curly haired woman smiling into camera

Livre, leve e cacheada

Tenho 27 anos e cabelos cacheados. O que isso tem a ver? Simples. Uma garota de cabelos cacheados há pelo menos 17 anos, não tinha

Ler Mais »
Rose wrinkled paper background with cut out image of curly haired woman smiling into camera

Livre, leve e cacheada

Tenho 27 anos e cabelos cacheados. O que isso tem a ver? Simples. Uma garota de cabelos cacheados há pelo menos 17 anos, não tinha

Ler Mais »

Reescrevendo minhas metas

Ah… as resoluções! Também conhecidas como objetivos, ou melhor ainda, metas. São as famosas listas que fazemos ao fim de dezembro, onde escolhemos quais sonhos

Ler Mais »
en_US
ru_RU pt_BR en_US