Renovando meu compromisso com a modéstia

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Você já percebeu como as pessoas têm colocado o vestuário como sendo um fardo tão pesado? Sempre que têm oportunidade elas tentam nos convencer que o evangelho deveria ter “fardos mais leves” e que a questão do vestuário não deveria ser tratado com tanta ênfase.

A realidade é que, para cada escolha que fazemos há sempre uma renúncia e renunciar nem sempre é fácil. Se você renuncia uma vida de sedentarismo e de repente resolve mudar a sua alimentação e praticar exercícios físicos, com certeza enfrentará dias de desanimo, irá lutar contra a preguiça, terá algumas recaídas mas, pela certeza dos benefícios que todas essas mudanças trarão para a sua vida você manterá o foco e dia após dia verá como as coisas se tornarão mais fáceis. Mudar pode ser doloroso a princípio, nascemos propensos aos maus hábitos, às mas escolhas, ao que é errado, portanto, fazer o que é bom e ter atitudes cada vez mais positivas sempre requererá de nós algum esforço.

Na nossa caminhada cristã não é diferente, renunciar o mundo e todos os seus atrativos e se dedicar a uma vida modesta, requer abnegação. Superar nossas tendências egoístas e abraçar uma causa, um princípio, requer de nós algum esforço. Pode até ser mais fácil para alguns mas, não deixa de ser um desprendimento. 

Quando entendemos a importância do vestuário e o impacto positivo que ele pode causar em nossa vida e na vida daqueles que nos cercam, quando entendemos que Deus importa com nosso vestuário e o plano perfeito por detrás de algo aparentemente tão pequeno e insignificante,  quando aceitamos a nossa missão de sermos pregadores mudos, exemplos vivos e condutores de luz, veremos como fazer a vontade de Deus é um fardo leve demais para carregar. 

Deus não prometeu uma caminhada sem cruz,  Ele apenas nos mostra como é possível carregar a nossa cruz com alegria quando o deixamos partilhar da mesma. E para aqueles momentos em que nos sentimos cansados, desanimados, desmotivados pelos nossos próprios “amigos”, pela nossa família, pela nossa igreja, pela mídia que nos impõe tantas regras quanto ao que vestir, ele nos diz: Vinde a mim, todos vocês que estão cansados e oprimidos e eu lhes darei alívio. (Mt. 11:28)

“[…] todos estão cansados e oprimidos. Todos se acham vergados ao peso de fardos que só Cristo pode remover. O mais pesado dos fardos que levamos é o pecado. Fôssemos deixados a suportar esse peso, e ele nos esmagaria.”

DTN 227.3

Seja qual for a sua dificuldade, não deixe de abrir seu coração a Deus, converse com Ele e entregue tudo aquilo que tem sido um fardo difícil de carregar. Se você se sente tentado a abandonar o primeiro amor, e os votos que você fez diante de Deus e dos homens quando se batizou… se você tem sido tentado a dar ouvidos àqueles que fazem do vestuário algo sem importância diante de Deus, lembre-se que Deus espera que haja uma transformação exterior. O amor pelo evangelho deve ser também exteriorizado, a partir do momento que mudanças reais e verdadeiras forem realizadas dentro de você você estará pronto a se despir de suas próprias vestes e se cobrir com as vestes de Cristo, uma veste diferente, bela, modesta, destituída de vaidade, apenas com o objetivo de glorificar a Deus.

Mais um ano se inicia, e com ele novas metas traçadas e objetivos para serem cumpridos. E em meio a tantos anseios de melhorias e evoluções gostaria também de te convidar para uma renovação de votos com a modéstia… daqueles mesmos votos que fizemos há algum tempo atrás e por algum motivo os deixamos em segundo plano. A nossa vida com Cristo precisa ser renovada. A beleza na simplicidade do vestuário precisa ser restaurada. Deixe para trás o velho “eu”, esqueça o velho ano com seus erros e inseguranças. Ande como Cristo andou e seja submisso ao Pai, em amor, como ele foi. 

Jesus Se esvaziou a Si mesmo e, em tudo quanto fez, o próprio Eu não aparecia. Subordinava todas as coisas à vontade de Seu Pai. Quando Sua missão na Terra estava prestes a terminar, foi-Lhe possível dizer: “Eu glorifiquei-Te na Terra, tendo consumado a obra que Me deste a fazer.” João 17:4. Ele nos pede: “Aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração.” Mat. 11:29. “Se alguém quiser vir após Mim, renuncie-se a si mesmo” (Mat. 16:24); que o próprio eu seja destronado e nunca mais possua a supremacia da alma.

Feliz vida nova para todos nós ❣️

Priscilla Cavalcante

Priscilla Cavalcante

Priscilla é formada em Odontologia atuando nas áreas de clínica geral e harmonização facial. Desde os 6 anos de idade se dedica a escrever histórias, poemas e canções além de diversos artigos sobre saúde, bem-estar e relacionamento para publicações de sua igreja. Em 2014 criou o perfil @modestoechic com a intenção de partilhar looks e aprender com experiências de garotas do mundo todo sobre a modéstia cristã no vestuário. Em 2018 lançou seu primeiro e-Book “E se eu me apaixonar”, da sua série: O amor é leve, com a finalidade de ajudar jovens a entenderem a responsabilidade e complexidade dos relacionamentos. Filha feliz, esposa apaixonada e escritora em constante aprendizado.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Posts Relacionados

Moda
Priscilla Cavalcante

Deus se importa com o que eu visto?

“Assim como o índice revela o conteúdo do livro, . . . o hábito e os trajes, no homem e na mulher, refletem o espírito de quem